Apresentação

A evolução dos Estudos Literários nas últimas décadas tem sido marcada pelo ultrapassar das fronteiras nacionais e pelo estudo das literaturas e das artes numa perspetiva internacional, transdisciplinar e transcultural, facto que levou a um importante desenvolvimento dos Estudos Comparatistas. Estes têm vindo a afirmar-se desde a segunda metade do século XX como o espaço por excelência da interrogação e da reflexão sobre o fenómeno literário e artístico, das suas múltiplas contaminações e cruzamentos, considerados numa perspetiva transnacional, e no eixo das suas relações com outras linguagens culturais, artísticas e performativas. Esta constatação levou ao desenvolvimento de áreas de especialização diversas no âmbito dos Estudos Comparatistas, tais como os Estudos de Género, os Estudos Pós-Coloniais, os Estudos Performativos, as Poéticas Visuais, entre outros, as quais se constituem como desafios contemporâneos aos Estudos Literários e Artísticos, num sentido canónico, às suas fronteiras e delimitações disciplinares, bem como à própria crítica humanística, sua metodologia e estratégia.

O objetivo desta 4ª Escola de Verão CEHUM —Liminaridades. Género, Tradução, Performance é de teor formativo, incentivando o diálogo com novas abordagens comparativas, perspectivas teóricas e confluências transdisciplinares. O formato do evento inclui conferências, seminários e workshops temáticos, envolvendo ativamente todos os participantes. Investigadores de várias áreas disciplinares — incluindo alunos de doutoramento e pós-doc — cujos projectos de investigação se situem nas áreas acima referidas estão convidados a enviar propostas de participação a integrar nos diferentes workshops. As propostas de participação (resumo a anexar no formulário de inscrição) têm a duração máxima de 15 min., devendo ser acompanhadas de uma breve nota biográfica, especificando a(s) área(s) disciplinar(es) e a tipologia de projeto de investigação em que se encontram inseridas.



Oradores convidados:

- Jane Linden (Manchester Metropolitan Univ.)

- Eleonora Federici (University L’Orientale, Naples)

- César Dominguez (Univ. Santiago de Compostela)



Prazo para inscrição: 1 de Abril de 2016



Organização: CEHUM / Grupo de Investigação em Género, Artes & estudos Pós-coloniais



Coordenadoras:

Ana Gabriela Macedo

Francesca Rayner

Local: Universidade do Minho, Campus de Gualtar

Top

Informações

Prazo para inscrição: 1 de Abril de 2016

Ação submetida para acredição: 1 crédito (pela CCPFC)



Taxas de inscrição:

Público em Geral: 50€.

Estudantes ILCH: 40€.


Jantar de encerramento (opcional): 15€.



Transportes  Alojamento  Sobre a Cidade

Top

Inscrição

*A Nota Biográfica e Position Paper devem ser no máximo uma página. O ficheiro não deve ultrapassar os 3Mb e só são aceites os seguintes formatos de texto (e.g. "Word"): DOC, DOCX, ODT, TXT, RTF.



Top

Programa

Programa [PDF]

Seminário I - Performance - Prática das Artes Interdisciplinares e Curadoria do Conhecimento

Jane Linden (Manchester Metropolitan Univ.)

This presentation looks at the work of selected artists from mixed disciplines whose practice was profiled in the pilot research project ‘Curating Knowledge’ in 2008. The project responded to the growing culture of practice-as-research in the British academy and sought to give platform to the complex, diverse and often interdisciplinary creative processes that, whilst richly insightful, are mostly obfuscated by our attention to end-on artefacts on the one hand, and written explications on the other.



Workshop I - Confrontando a realidade: configurações contemporâneas da performance política

Francesca Rayner

Performance has conventionally been associated with notions of ephemerality and irrepeatability. As such, it seems to defy the demands of a research agenda concentrated on the fixed and the permanent. On the other hand, performers who embark on traditional research projects within universities often find that the language through which they frame their research questions is considered not academic enough and that their expectations of what constitutes a research component within a performance differ greatly from the expectations of university researchers and funders. What kind of research tools and methodologies might help to bridge the gap between performance practice and university research? How might research projects based on performance balance the need to create with the need to research? Can the collaborative framework of performance practice be translated into a research environment focused on the individual? This seminar will present projects that have combined performance and research and discuss research tools and methodologies within the practice as research (PaR) framework that will interest those considering embarking on such research projects or already working in this area.



Seminário II - Translation and Gender: New Theories and Practices?

Eleonora Federici, University L’Orientale, Naples

In recent years the intersection between gender and translation has been intensely explored, with research in areas such as sexual identity in translation, the writing and translating of the female body, the effects of grammatical gender travelling from one language to another, the translation of misogynist texts and the theory and practice of feminist translation. Since the emergence of feminist translation in Québec some three decades ago, a fruitful interdiscipline has been affirming itself and generated new perspectives on women, men, gender, sex and translation. Seminal papers by Levine (1983), Maier (1985), Mezei (1987), Chamberlain (1988), Godard (1990) or Flotow (1991) are obvious reminders that the identification of a ‘woman’s (feminist) writing’ –and the concomitant ‘feminist translation’– was Canadian, and Québécois, in origin. Those papers described a specific historical context (the 1970s) in which a feminist discourse was born as a form of political action, and a feminist translation emerged as a theory (and especially, a practice) in the (re)writing of women’s experiences. From that moment theories on gender and translation have developed also in the European context with different approaches and methodologies. Nikolaidu & López Villalba (1997), Vidal (1997), Agorni (1998, 2005), Heinitiuk (1999), Littau (2000), Godayol (2000), Santaemilia (2003, 2005), Martínez García (2004), Bassnett (2005), Martín Ruano (2005), Leonardi (2007), Sardin (2008), Federici (2011 and 2013), De Marco (2012) are among the European scholars which have expanded and reinterpreted the translating activity of past women in terms of ideological and political activity, as well as a critical reframing of gender and identity. My lecture will focus on these new studies and two main issues: how it would be important to bridge the gap between theory and practice and the importance to open TS to a transdisciplinary perspective involving various areas of research such as sociolinguistics, pragmatics, literary studies, media studies, semiotics and cultural studies among others.



Workshop II: Tradução em áreas de conflito.

Maria Filomena Louro

Os Estudos de Tradução são já reconhecidos como uma área científica mas a prática de tradução tem um lugar pouco definido nas humanidades. São vistos por vezes como gémeos falsos: a mesma origem mas de carater muito distinto. O ato de traduzir tem inúmeras definições, que tanto se podem focar no texto original, na intenção do autor, na função esperada para o texto traduzido pelos utilizadores finais, ou o requisito da entidade que encomenda a tradução. Umberto Eco repara com espírito que a tradução é também avaliada em termos morais- fidelitas. Este critério apesar de ter a sua relevância não é aplicado a atividades artísticas ou académicas. A corrente crise da nossa convivência global apresenta-nos diariamente dificuldades comunicativas que exigem atenção e uma resposta concertada, competente e eficiente. Transmitir informação, relatar eventos, interpretar situações e pessoas em situações críticas e de conflito, como os deslocados, refugiados, realojamento em cenários de catástrofe, todas estas situações exigem uma resposta adequada da tradução como atividade profissional.



Seminário III - Comparativismo - Literaturas pequeñas y literatura mundial

César Dominguez (Univ. Santiago de Compostela)

Como acontece con Weltliteratur, concepto famosamente acuñado por Goethe y discutido en el interior de una suerte de texto autobiográfico "ajeno" (Las Gespräche de Eckermann), el concepto de kleine Literaturen fue brevemente discutido por Kafka en un texto autobiográfico "ajeno" (los Kafkas Tagebücher de Max Brod). A pesar de esta similitud y del hecho de que ambos conceptos parecen ser de alguna manera dos caras de las misma moneda –la literatura en su "máxima"/"mínima" expresión–, Weltliteratur y kleine Literaturen no son conceptos que hayan contraído un diálogo crítico. En este seminario se iniciará dicho diálogo mediante una revisión de las distintas genealogías (y traducciones) del concepto kleine Literaturen, desde la discusión inaugural de Kafka en relación con el yidis, la traducción al francés por parte de Marthe Robert del Tagebücher y la emergencia mineur, la identificación debida a Gilles Deleuze y Félix Guattari de mineur como una construcción dentro de una "lengua mayor" y su aplicación por parte de Jon Juaristi al bilbaíno (dialecto castellano hablado en Bilbao), hasta llegar a la noción de "literaturas pequeñas" dentro del contexto de la Carta Europea de las Lenguas Minoritarias o Regionales. El objetivo último es reflexionar sobre si las literaturas pequeñas nos proporcionan una idea distinta de la literatura mundial.



Workshop III - Comparativismo. ¿Ganando en traducción?

César Dominguez

En una de sus cuatro –por lo menos– definiciones, David Damrosch sostiene de pasada que "La literatura mundial es escritura que gana en traducción" (What is World Literature? 281). Pero el tenor/significado de esta "ganancia" no es objeto de discusión. El objetivo de este taller es explorar una afirmación tan provocadora como ésta mediante la discusión de importaciones/exportaciones traductológicas concretas de literaturas pequeñas. Si bien la interfaz de literatura mundial y traductología representa un campo emergente y excitante, no ha habido una atención específica por el caso de los flujos traductológicos de las literaturas pequeñas. Estos flujos se investigarán empíricamente no sólo por lo que concierne a la dimensión interlingüística, sino también en relación con otros lugares críticos, tales como prólogos, notas, antologías, declaraciones programáticas, etc.





Top

Contactos

CEHUM:

E-mail: ceh@ilch.uminho.pt

Telefone: 253604162

Website do CEHUM: http://ceh.ilch.uminho.pt


Morada:

Centro de Estudos Humanísticos
Universidade do Minho
Campus de Gualtar
4710-057 Braga
Portugal

Top